Chega de software legado

Chega de software legado

17 de janeiro de 2022 0 Por LEF

Muitas organizações ainda usam tecnologias desatualizadas para suas principais aplicações, que muitas vezes continuam funcionando com altos custos de manutenção. Esse software legado realmente os atrasa em sua transformação digital, porque faltam possibilidades modernas como escalabilidade, disponibilização na nuvem e integrações por meio de APIs. E uma vez que eles finalmente decidem substituir seu legado por novas tecnologias, por definição, eles estão criando o legado do futuro próximo. Não há uma alternativa mais moderna?

O que é software legado?

 O termo significa todos os tipos de sistemas operacionais, bancos de dados e aplicativos de negócios desatualizados que se baseiam em métodos, padrões e tecnologia desatualizados. O legado é virtualmente inevitável, e muitas vezes o resultado de escolhas tecnológicas do passado e de plataformas de software herdadas através de aquisições. Essas aplicações deveriam durar décadas, mas na prática, são modernas por cerca de três anos e depois se enquadram no termo de legado, às vezes pelos próximos 27 anos.

Isso é um grande problema, porque este software é usado frequentemente para os aplicativos Core e mais críticos dentro de uma organização. É por isso que a modernização é adiada pelo maior tempo possível, pois no curto prazo, muitas vezes é mais barato superar as limitações com integrações personalizadas e aplicações periféricas. Na prática, até 500 aplicações periféricas são construídas em torno de um produto como SAP, por exemplo. A longo prazo, o legado desacelera uma organização em áreas como inovação e transformação digital, o que faz que a final das contas é muito mais caro manter o legado do que se adequar aos benefícios que a tecnologia moderna oferece.

Ponto de ruptura

Para cada organização que usa software legado, chega um ponto de ruptura. A nova tecnologia não pode mais ser aplicada, a manutenção fica cada vez mais cara, nenhum desenvolvedor está mais disponível, e às vezes, o hardware necessário simplesmente não existe mais. 

Esse é um grande risco para os negócios, especialmente se colocar a posição competitiva em risco. Então, esses são momentos importantes de escolha para uma organização, porque de repente ela tem que encontrar uma alternativa moderna às soluções legadas. Isso requer visão e coragem para escolher o software certo, no qual a organização pode confiar nas próximas décadas. Você escolhe um pacote de software antigo e confiável? Uma nova tecnologia? Ou você vai desenvolvê-lo você mesmo? O que poucas pessoas percebem é que com sua escolha tecnológica de hoje, você imediatamente cria o legado do futuro. Afinal, o software está envelhecendo cada vez mais rapidamente, por isso dura cada vez mais curto.

ContinuousNext

Em 2018, o Gartner introduziu uma nova tendência que aborda esse problema legado: o ContinuousNext. Isso significa que a atitude que as empresas devem adotar para estar melhor preparada para mudanças tecnológicas contínuas e inovação. Com isso, o Gartner parece reconhecer que sempre haverá legado, e que, como uma organização, você simplesmente tem que aceitar que você sempre precisará substituir periodicamente seu software de negócios por algo novo. Eu pessoalmente acho que é bom que o Gartner esteja conscientizando as empresas sobre os problemas do legado. Mas podemos dar um passo além. Acho que esse problema pode ser resolvido se pararmos de criar um novo legado, ou seja, usando software de low-code.

Inovação contínua

O princípio por trás das plataformas de low-code é que elas permitem que as empresas guardam a funcionalidade e o funcionamento de seus softwares em modelos. Isso separa a funcionalidade da tecnologia, que é sempre atualizada para os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos.

Isso significa que, como usuário, você pode modificar e expandir continuamente a funcionalidade e o design de softwares de low-code, sem ter que se preocupar com o envelhecimento tecnológico. Já parece muito mais moderno, não é?

É certo que o uso de low-code para aplicativos críticos aos negócios ainda é relativamente novo. O low-code é atualmente usado principalmente para desenvolver aplicativos simples e outros aplicativos específicos de pequena escala.

 No entanto, o low-code passou por um grande desenvolvimento nos últimos anos. Agora também existem plataformas de low-code disponíveis que podem ser usadas para desenvolver grandes aplicativos principais que podem competir com pacotes de software tradicionais ou software personalizado. Na verdade: vários fornecedores de software já estão construindo seu próprio pacote de software com essas plataformas. O low-code é um verdadeiro alívio quando você o compara a uma implementação complexa de pacotes ou desenvolve software personalizado.

Modernização

Mas o que você faz com seu software legado existente? O software de low-code também oferece às organizações uma maneira de modernizar seus aplicativos legados. O resultado é uma solução moderna de software à prova de futuro. Ao modernizar ou \”upcycling\”, um modelo é derivado do software legado, que pode ser usado para iniciar rapidamente um projeto de modernização. O resultado final é que você nunca cria um novo legado com low-code. Como uma organização, você não precisa mais se livrar de implementações de software periodicamente e substituí-las por algo novo perdendo dados importantes. Ao transferir a funcionalidade do seu legado para modelos em uma plataforma de low-code, você pode realmente dizer adeus ao legado e continuar inovando no futuro sem preocupação.

 

A plataforma certa

A plataforma certa garante uma modernização rápida e evite que em algum momento seu sistema vira legado. Com seu software definido em modelos, o funcionalidade será independente da tecnologia. E isso traz grandes benefícios para o futuro e permite que a sua equipe somente foca nas funcionalidades valiosas para o negócio e não perca mais tempo ou dinheiro com a manutenção.